CONSCIÊNCIA COLETIVA

Category archive

Devaneios

A uma mulher

em Autoral/Devaneios por

Estava subindo no ônibus quando ouvi uma senhora falando em bom tom com um senhor que estava ao seu lado. Ele não estava muito interessado em ouvi-la, e como ela notou que eu estava a observando, dirigiu-se a mim e continuou sua queixa:

Continue Lendo

Prelúdios (de) Insônia

em Autoral/Devaneios por

Prelúdios Sorrateiramente você entrou no quarto mais cedo e dormiu antes de e sem mim. Deixou-me na sala sozinho assistindo àquele filme de terror de péssimo gosto que escolhemos aleatoriamente no Netflix; parecia ser bom pela sinopse. A hora do lanche da noite chegou e eu separei numa vasilha verde uns biscoitos de coco para comer enquanto tomava leite quente. Comi e bebi vendo cenas mais entediantes que a minha própria vida; pensei em abandonar o filme, mas não o fiz porque queria encorpar a crítica negativa que mentalmente estava sendo formulada na minha cabeça.

Continue Lendo

Quando foi a ultima vez que você gargalhou?

em Autoral/Comportamento/Devaneios por

Sim, quando foi? Falo daquelas gargalhadas que deixam as bochechas doloridas, gargalhadas que nos deixam sem ar e que nos fazem chorar, que deixam a barriga dolorida e quase nos fazem fazer xixi nas calças. Tenho que dizer que essas são as melhores! Quero dar um conselho aqui, sorria de você, levar a vida tão serio o tempo inteiro cansa, sabia? Faça coisas engraçadas para que as pessoas que você gosta possam rir, não tenha medo de parecer bobo, e daí? O mundo pode se tornar mais leve apenas com dancinhas esquisitas no meio da rua. Já notou o poder…

Continue Lendo

O algoz

em Autoral/Devaneios por

Há um sentimento que me tortura, que me subjulga, que me coloca aos seus pés, que faz de mim servo e me acorrenta, que crava espinhos por todo meu corpo, que me faz reviver fantasmas de sentimentos, de sentidos. Por ele, sou forçado a relembrar beijos que me marcaram, toques que nunca fui capaz de esquecer, cheiros que me possuíram, promessas que jamais se cumpriram. Sou possuído de tal forma que sinto minhas próprias forças esvanecerem, sou tomado por esse poder maior e por um momento esqueço quem sou e vivo uma vida que já não é mais minha. Lembranças…

Continue Lendo

Ir para o Topo
Pular para a barra de ferramentas