CONSCIÊNCIA COLETIVA

Category archive

Autoral

Confira algumas das estrelas da Netflix que estão nas telas há muito tempo

em Autoral/Novidades/Séries/TV/TV e Séries por

Eles começam devagarzinho, com um sorriso às vezes ainda banguela, uma tirada engraçada, e quando ainda estamos achando que eles são uma gracinha, pronto: já são adultos – e cresceram diante das câmeras. Se quisessem se aposentar, estrelas como Drew Barrymore, Neil Patrick Harris e Selena Gomez já teriam tempo suficiente de contribuição ao espectadores; afinal, em tantos anos de carreira, não faltam papéis interessantes na trajetória de atores como eles, que entraram em cena ainda novinhos e agora são estrelas em séries e filmes disponíveis na Netflix. Pense numa carteira de trabalho cheia de carimbos: a deles certamente é…

Continue Lendo

Tempestade

em Autoral/Poesia por

Eu me apaixonei pelo meu amigo. Me apaixonei pela sua forma tão encantadora e apaixonada de falar dos seus amores. Me apaixonei pela sensibilidade intensa expressa naquele olhar quando partilhava comigo suas dores.

Continue Lendo

Maria e o pássaro enjaulado

em Autoral/Contos por

O movimento dos pássaros no interior do bando é livre, quase que se poderia dizer anárquico, se ele não tivesse governado por certas leis biológicas que impedem os animais de se chocarem uns contra os outros, ou de se desgarrarem … dizem também que cada pássaro escolhe por sua própria conta o caminho a seguir, sem perder de vista a perspectiva do bando.  

Continue Lendo

A uma mulher

em Autoral/Devaneios por

Estava subindo no ônibus quando ouvi uma senhora falando em bom tom com um senhor que estava ao seu lado. Ele não estava muito interessado em ouvi-la, e como ela notou que eu estava a observando, dirigiu-se a mim e continuou sua queixa:

Continue Lendo

Prelúdios (de) Insônia

em Autoral/Devaneios por

Prelúdios Sorrateiramente você entrou no quarto mais cedo e dormiu antes de e sem mim. Deixou-me na sala sozinho assistindo àquele filme de terror de péssimo gosto que escolhemos aleatoriamente no Netflix; parecia ser bom pela sinopse. A hora do lanche da noite chegou e eu separei numa vasilha verde uns biscoitos de coco para comer enquanto tomava leite quente. Comi e bebi vendo cenas mais entediantes que a minha própria vida; pensei em abandonar o filme, mas não o fiz porque queria encorpar a crítica negativa que mentalmente estava sendo formulada na minha cabeça.

Continue Lendo

Descobertas no 145

em Autoral/Crônicas por

Vocês sabem que hoje nós temos inúmeros canais onde podemos conversar com estranhos, criar nossas próprias máscaras, imaginar novos personagens e, antes de tudo, descobrir um pouco sobre nós mesmos(as). Pois é, nem sempre foi assim, há alguns anos, conseguir uma conexão de internet era quase impossível. Na era da net discada, as tardes de sábado eram cultuadas. Quando paro para pensar, quando volto no tempo e me vejo aos 15 anos; um jovem cheio de sonhos e incertezas, sem um smartphone à disposição, buscando descobrir o mundo e suas coisinhas sujas na calada da noite, bate uma saudade, um certo…

Continue Lendo

Foi bom pra você?

em Autoral/Comportamento/Crônicas por

Quem nunca, após uma transa, ouviu a derradeira frase? “E aí, foi bom pra você?” Quem nunca ouviu, muito provavelmente, jamais teve o dissabor de uma noite (uma tarde, uma manhã…) de sexo meia-boca, anti-prazeroso, en passant. Broxante. Para ser mais preciso. Aquele em que o beijo parece não funcionar, o toque não é mesmo, as peles produzem atrito, os movimentos são mecânicos e o gozo parece tão distante quanto você do seu parceiro. É o famoso fast-foda, ligeirinho, chegou, comeu: gozou (e nem precisa pagar). Nesses casos, o “foi bom pra você” funciona como uma espécie de pergunta-desculpa, cuja…

Continue Lendo

Sobre a Natureza dos Abraços

em Autoral/Comportamento por

Talvez este pareça ser mais um texto sobre a desumanização numa época em que várias ferramentas substituem os contatos pessoais, os contatos humanos, mas acredito que seja mais do que isso: este texto é sobre a natureza dos abraços. Falarei, aqui, não sobre a natureza enquanto origem das coisas, mas sobre a natureza enquanto algo vivo, que precisa ser cuidado, que precisa ser colocado em harmonia com a existência humana. Afinal, um é fruto do outro. Falarei, então, sobre a vitalidade dos abraços, sobre suas fragilidades, sobre seu poder harmonizador. Nada será falado de forma muito técnica, ou científica [longe…

Continue Lendo

Memórias Póstumas de uma Princesa Disney

em Autoral/Comportamento/Crônicas por

Desde criança, disseram-me que o mundo real era muito difícil, e indiretamente me apresentaram ao (ir)real. Nele, eu só precisaria imaginar as coisas para que elas se tornassem realidade. Assim, tudo dependia da minha imaginação, inclusive o amor e os tão temidos e procurados relacionamentos amorosos. No mundo real, os relacionamentos apresentavam muitas dificuldades, o tempo inteiro. A falta de dinheiro, incompatibilidade, diferenças de opinião, transtornos físicos e psicológicos, e o fardo de lidar com todos esses obstáculos fazia dele uma experiência horrível, algo impossível de se tolerar. Me falaram que esse tipo de união real era errado: ela só…

Continue Lendo

A garrafa que guarda desejos e lembranças

em Autoral/Contos por

Era sexta-feira, por voltas das 23h30min. Lino mal havia colocado os pés naquele lugar, logo percebeu que só seus pés ficariam por ali, mesmo que ele permanecesse naquele local até o amanhecer. Franzindo um pouco a testa, colocou a mão no bolso, desistiu de tirar algo ali de dentro. Levou-a até o botão da camisa com estampa colorida e a deixou mais confortável. Voltou ao bolso e tirou de lá sua dose de vodka posta em uma garrafinha plástica laranja que mais parecia um minúsculo tubo de ensaio. Ele gostava muito dessa garrafa. Havia ganhado de um vendedor turrão numa…

Continue Lendo

Ir para o Topo
Pular para a barra de ferramentas