[LISTA] 25 obras LGBTQIs indicadas ao Oscar de Melhor Filme

em Cinema/Listas e Homenagens/Novidades por

A primeira vez que vi dois gays e duas lésbicas se beijando na televisão aberta foi no ano 2000 no videoclipe de “American Pie” de Madonna no programa Disk, que era exibido às seis da tarde, na MTV Brasil. Eu tinha 12 anos e aquelas imagens me marcaram. Não era a primeira vez que via gays e lésbicas na mídia, é claro. Muito cedo, como cinéfilo, descobri a “seção de arte” das videolocadoras, que era um eufemismo para algo como “filmes europeus, premiados ou que tem cenas de sexo homosssexual”. Ali você descobria filmes como “A Lei do Desejo” (1987), “O Padre” (1994), “Almas Gêmeas” (1994) e “Eclipse de Uma Paixão” (1995) . E ainda ganhava eventuais elogios das atendentes: “você é tão novinho e só gosta de filmes densos”. Eu só não poderia revelar qual densidade eu estava procurando.  O clipe de “American Pie” da Madonna, cover do clássico de Don McLean, me marcou por ser exibido diariamente e por singelos beijos que duravam poucos segundos. Sintomático sobre o quão LGBTQIs foram sub-representados na mídia mainstream ao longo dos anos.

“American Pie”, vale lembrar, foi trilha da comédia romântica “Sobrou Pra Você (2000), em que Madonna tinha como amigos gays Rupert Everett e Neil Patrick Harris. O filme é medíocre, mas eu adorava aos 12 anos, especialmente por ser tão difícil ver gays nos meios de comunicação de massa. Curiosamente, “Sobrou Pra Você” foi o último trabalho do cineasta britânico John Schlesinger (1926 – 2003). E uma das mais célebres obras  de Schlesinger é justamente “Perdidos na Noite” (1969), vencedor do Oscar de Melhor Filme, que é sempre lembrado por ter um olhar queer. Com a indicação de “Me Chame Pelo Seu Nome” (2017) para o Oscar de Melhor Filme, decidi fazer uma lista com 25 obras LGBTQIs que foram nomeadas ou que venceram na categoria melhor filme, a principal da Academia. A lista tem filmes que trabalham as sexualidades heterodissidentes como subtexto, principalmente nas primeiras décadas do Oscar e do cinema clássico americano. Mas com o passar dos anos, há obras que falam mais abertamente sobre o tema, algumas de forma problemática, outras mais bem sucedidas. Como estamos na nonagésima edição do Oscar, posso estar sendo injusto na lista e esquecendo algum título. Mas a lista com 25 obras LGBTQIs indicadas ao Oscar de Melhor Filme ficou assim:

Leandro é jornalista por formação e estudante de Cinema e Audiovisual pela UFPE. É cinéfilo desde a infância e tem interesse por debates sobre identidades culturais. É fã de música new wave e sintetizadores em geral, novelas de Gilberto Braga e acredita que Madonna é a única messias possível | Para segui-lo no Twitter: @leandro_gantois