CONSCIÊNCIA COLETIVA

O que achamos de Sobrenatural – a última chave

em Cinema/Novidades/O que achamos por

Review

Avaliação
7.5/10
Média
7.5/10

O quarto filme da série Sobrenatural chega ao Brasil como primeiro grande lançamento de terror do ano. A série iniciada pelas mãos de James Wan sobre a família de Patrick Wilson e Rose Byrne, segue com Leigh Whannell (responsável pelo roteiro dos primeiros filmes e pela direção da maioria dos filmes Jogos Mortais) desde o terceiro título da franquia abordando histórias em torno da vidente Elise Rainier vivida por Lin Shayne.

Em A Ultima Chave, que assim como 3º filme é um prequel, somos apresentados a parte da infância de adolescência de Elise, sua relação com a mãe, irmão e, principalmente, o pai abusivo numa casa próxima a uma prisão que realizava penas de morte. Com isso, a casa em que Elise cresceu sempre esteve permeada por mortes e espíritos, e neste filme ela chamada a voltar à casa após tantos anos.

Um filme de terror é tão bom quanto seu monstro. Aqui temos o KeyFace, monstro com dedos formados por chaves e um rosto assustador, mas que mesmo assim não chega a ser memorável após os créditos finais. Inclusive, o medo não se faz muito presente na película – algo estranho de se notar num filme de terror -, isso porque há muito mais uma ambientação de suspense e bem menos sustos, principalmente os jump scare, o que pode ser considerado positivamente a depender do tipo de terror que o espectador espera.

O roteiro é comum, casa assombrada, protagonista vidente, pessoas em perigo. Contudo, é no realismo da maldade que certo horror habita. Esse recurso foi também visto recentemente em IT: a coisa e aqui retorna de maneira muito aproximada, uma vez que também aborda a violência contra mulheres. Inclusive, pode-se ver certo girl power no filme já que cabe as mulheres do filme se unirem para vencer a violência doméstica e os demônios sobrenaturais.

Sobrenatural: a ultima chave é, em certa medida, o filme com menos elementos sobrenaturais da franquia e com menos sustos, pelo que consigo recordar dos antecessores, mas ainda assim é um bom filme de terror e segue ampliando gradativamente o universo estabelecido pelo primeiro filme em 2010.

Trailer Legendado

Bruno é psicólogo e pesquisador sobre gênero e sexualidade. Escreve sobre cinema e séries, é apaixonado por Nicole Kidman e Lady Gaga. Publica reviews de filme mensalmente | Para segui-lo no Instagram: @BruRobson.

Último post de Cinema

Ir para o Topo
Pular para a barra de ferramentas