Youtuber australiano pede namorado em casamento e levanta polêmica sobre os modelos de relação que perseguimos

em LGBTQI/Notícias/Novidades por

Brad Guy é bem famoso por seus vídeos relatando como é a vida gay na Austrália. Seus vídeos no youtube são bem acessados, um deles, em especial, fez bastante sucesso recentemente.

“Enquanto estávamos de férias na Europa, levantei-o para a Irlanda do Norte e aproveitei que estávamos diante de uma das suas paisagens preferidas, os castelos na Causeway Coast.”

Ele não tem ideia, mas hoje é o dia em que eu vou pedir para ele se casar comigo!

“Estou enlouquecendo! Eu não sei o motivo, estou estou confessando meu amor e isso é tão fácil para mim.”

Brad escolheu um anel irlandês claddagh, que simboliza amizade, lealdade e amor.

O vídeo recebeu bastante elogios, mas em algumas postagens é possível perceber o incomodo de algumas pessoas com o fato dos casais gays cis geralmente reproduzirem o modelo de relação dos casais héteros. Por sua vez, outras pessoas acharam a problematização desnecessária, visto que independente da orientação sexual, é importante que cada pessoas escolha o seu próprio caminho para ser feliz. Por fim tivemos aquelas pessoas que comemoraram, mas não deixaram de pontuar o fato de que casais gays formados por homens dentro do padrão de beleza geralmente recebem elogios por parte da sociedade e são relativamente mais aceitos, enquanto os casais que fogem a essa norma são ainda vistos como aberração.

Confira o vídeo

Recentemente, o humorista Paulo Gustavo fez um post informando que estava esperando um casal de gêmeos com o seu esposo e que não tinha divulgado antes porque ambos estavam esperando a confirmação de que estava tudo bem com a “barriga de aluguel”. A publicação também levantou críticas por parte das mulheres, que logo perceberam o quanto esse raciocínio perpetua a ideia de que a mulher é um objeto, usada pelo sistema para servir a casais héteros e gays, visto que elas não possuem nome e não podem revelar sua identidade para além do papel da maternidade. Outra questão levantada foi o perfil das mulheres escolhidas por casais que buscam esse método, sempre brancas e dentro de um padrão estético.

Concordando ou não, esses dois casos contribuem imensamente para pensarmos nos processos de escolha da comunidade gay e de que forma elas impactam na visão sobre a mulher e sobre outros grupos da comunidade LGBT.

Facebook Comments

Raphael é professor, formado em Ciências Econômicas, Letras e atualmente se dedica ao mestrado em Educação. Escreve sobre música, comportamento e cinema. É apaixonado por Twin Peaks, playlists e quase sempre pelos amigos. Publica mensalmente dia 9, save the date | Para segui-lo no Twitter: @RaphaelAlves

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*