CONSCIÊNCIA COLETIVA

O que estamos achando de The King of Fighters Destiny

em Anime/Nerd/Novidades por

Alô galera, finalmente podemos assistir uma série relacionada ao clássico jogo dos anos 90 produzido pela antiga SNK (que devido a crise abriu falência, hoje se chama SNK Playmore). Estou me referindo a The King of Fighters Destiny.

Quando digo “enfim” é porque nunca tivemos uma série sobre KOF.  Até agora só rolou o mangá com 5 volumes, logo depois de KOF 95 e uma animação de 4 episódios intitulada The King Of Fighters Another Day, que faz parte de um pacote do lançamento de KOF: Maximum Impact 2, com 10 minutos apenas. Agora estamos , da fato, entrando  mais uma vez nesse universo que, mesmo se tratando de um jogo de luta, sempre mostrou ter uma história bem interessante como pano de fundo.

A SNK começou a se firmar em jogos de luta no mercado com Fatal Fury (1991) e Art of Fighter (1992), até que em 1994 surgiu The King of Fighter 94. Nele foram reunidos personagens de ambos os jogos citados e de outros jogos como Psycho Soldier e Ikari Warriors, uma espinha dorsal de personagens que foi mantida por um bom tempo, para ser mais exato, até o final da saga Orochi que encerrava no The King of Fighters 98. Depois disso alguns personagens foram mantidos, mas sempre chegavam diferentes, devido ao contexto das novas sagas.

Apesar de Fatal Fury Especial ter sido o antecessor e Terry Bogard ser um personagem bem consagrado, ele não seria o foco principal porque em KOF 94 contamos com outro protagonista, Kyo Kusanagi, que tinha o poder de manipular chamas, algo que seria explicado mais tarde. Ao lado de Kyo temos Benimaru Nikaido, que usa poderes de eletricidade e o Judoca Goro Daimon, juntos representavam o time do Japão.

Assim como esse trio, existiam outros que representavam outros países, como o time do México ou time Art of Fighter (Ryo Sakazaki, Robert Garcia, Takuma Sakazaki), time da Itália ou Fatal Fury (Terry Bogard, Andy Bogard e Joe Higashi), o time da Inglaterra (Yuri Sakazaki e King de Art of Fighter e Mai Shiranui de Fatal Fury) , time da Coréia (Kim Kaphwan de Fatal Fury e os estreantes Choe Bounge e Chang Koehan), Time da China ou Psycho Soldiers (Athena Asamiya, Sie Kensou, Chin Gentai), o time do Brasil (Clark Still e Ralf Jones de Ikari Warriors e o chefe heidern) e o time EUA (Heavy D!, Lucky Glauber, Brian Battler).

Durante os eventos de Fatal Fury Especial, o nome do torneio se chamava King of Fighters e em 94 um novo organizador mudou de nome (não tanto assim) para The King of Fighters. O organizador era nada menos que Rugal Bernstein, que só aparecia no final do torneio. Ele era ex-sócio de Gesse Howard (vilão de Fatal Fury) e chamou os maiores lutadores do mundo para ver quem eram os melhores para adicioná-los em mais uma coleção de estátua de pedra, bizarro.

O time do Japão (Kyo, Benimaru e Goro) venceram Rugal no final e com a explosão da base o vilão é dado como morto. Até então, é uma história bem simples, porém, deve ser aprodundada com a chegada de outros jogos. Vão falar mais sobre a Origem dos Kusanagi, sobre o seu rival Iori Yagami e a sua rixa de sangue ; sobre Orochi que seria o vilão principal dessa saga que acaba em The King of Fighter 98.

Após esse “resuminho”, temos uma noção de como será The King of Fighters Destiny, a série é baseada no KOF 94 e como essa é a primeira temporada, é de se esperar que saiam mais até a conclusão da saga Orochi, que é a mais cultuada pelos fãs. É sempre bom lembrar que alguns detalhes podem ser mudados, sempre fazem essas coisas, então não esperem uma cópia exata, talvez deixem apenas o foco principal da série, vilões e personagens.

Atualmente KOF Destiny é transmitida pela Steam, quem joga muito no PC conhece bem a plataforma, que é gratuita, é preciso só instalar a Steam, criar a conta, procurar e assistir. Ela não é legendada em PT-BR, mas sempre existem aqueles cidadãos que legendam e fazem a nossa alegria.

Nos 4 episódios exibidos tivemos uma breve apresentação dos personagens, vimos Kyo e seu pai Saysiu Kusanagi, uma parte da história de Terry e Andy, a morte de seu pai Jeff Bogard e eles conhecendo mais um integrante, Joe Higashi. Ryo Sakazaki.  Robert Garcia e Yuri Sakazaki também aparecem e já vimos uma luta entre Ryo e Billy Kane (Fatal Fury), luta em que Benimaru logo logo participará, até serem interrompidos por Kyo. Mature, a secretária de Rugal, apareceu logo no começo, sua função será revelada mais tarde na trama principal e é algo bem maior.

Sobre a qualidade da animação, esperávamos mais, já que os criadores  são os mesmos de Kingsglaive Final Fantasy XV, ou seja, qualidade de sobra. O que encontramos nessa animação em CGI é uma movimentação mais robótica e uma textura bem fraca, porém, isso não tira o brilho da série, já que estamos vendo os personagens que tanto gostamos finalmente em ação.

Bom, eles tem tudo para fazer essa franquia ressurgir com essa animação, se souberem conduzir bem, podem atrair não só os fãs antigos, como novos, KOF tem potencial pra isso:  a história é interessante os dubladores são os mesmos dos jogos, deixando a atmosfera ainda mais nostálgica. É um prato cheio para os fãs. Então, não deixem a oportunidade passar, ASSISTAM!!

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Último post de Anime

Ir para o Topo
Pular para a barra de ferramentas