CONSCIÊNCIA COLETIVA

“New Rules” de Dua Lipa é necessária na Música Pop

em Música/Nossa Avaliação/Novidades por

Como o Anallógicxs já comentou no podcast, as divas pops estão em crise. Apesar dos fãs tentarem fazer e acontecer, as cantoras pops, antigas detentoras do topo das paradas, não conseguem consolidar seus singles na posição número um dos charts da Billboard e pelo mundo afora. As músicas das divas parecem está restritas às suas bolhas de fãs e de apreciadores do pop, sem conseguirem atingir outros públicos. Acredito que tal fato se deve a imagem desgastada e limitada que as cantoras vêm apresentando, mas isso não se deve só a elas, pois quando as artistas tentam apresentar um trabalho mais consiste não conseguem se conectar com o público geral – formado por adolescentes jovens de vinte poucos anos -, como ocorreu com Katy Perry com o single “Chained To The Rhythm” e Beyoncé com “Formation”.

Diante desse cenário, percebi que meus amigos fãs de música pop vinham falando de uma nova cantora, apontada como “salvadora do pop”. Achei que era mais uma histeria de um público carente a espera de um messias que os façam ter orgulho de venerarem alguém e poderem usar as expressões “lacrou” e “pisa menos”, aí deixei passar. Porém, quando algo faz sucesso é inevitável não conhecermos, uma hora a mais ou a menos vai esbarrar na gente. E assim foi.

Bastidores da gravação do clipe de New Rules

Vi no Instagram um vídeo da Ana Maria e Louro José abrindo o programa ao som de “New Rules” (sic), achei engraçada a empolgação deles e lembrei do burburinho dos meus amigos nas redes sociais em torno de Dua Lipa e fui ao Youtube assistir ao vídeo da música. Bem… ao terminar o vídeo eu já estava gritando “Dua Lipa, eu te venero!” e dando o um like no vídeo. Os motivos eu vou explicar a seguir:

A música – o mundo pop é dominado por interpretes de voz aguda que adoram gritar, mesmo aquelas que não têm voz usam desse artifício, mas Dua Lipa chama a atenção por ser uma cantora de voz grave, sem muitos nuances vocais, porém com o tom muito bem encaixado nas bases eletrônicas. A música não é uma farofa, aquelas que nos fazem bater cabelo, é uma música dançante e com ritmos bem sequenciados. Já a letra, em tempos de shades, egocentrismo e autoafirmação, fala sobre ter força no período da fragilidade. Não sobre ter uma grande forçar e superar todos os obstáculos, e sim sobre buscar a força dentro de nós mesmos para sair de um relacionamento tóxico fazendo suas novas regras. A música fala com naturalidade sobre a fragilidade de quem está num relacionamento com uma pessoa lixo, se dá conta da situação e busca sair mesmo estando muito envolvida emocionalmente; uma mensagem necessária para tantas meninas que vivem relacionamentos abusivos e se sentem dependentes afetivamente.

O clipe – não deixando a desejar perante a música, o vídeo, cenário situado em Miami, mostra a cantora hospedada num risort com suas amigas, no período de fragilidade tentando sair do relacionamento tóxico. O squad de Dua Lipa ao mesmo tempo que se parece com ela, são perfis diferentes, como a presença de amigas negras – sim, no plural. Enquanto a cantora tenta esquecer a pessoa lixo que a fez mal, ela recebe todo o apoio de suas amigas que não a deixam ficar na cama, não a deixam ligar para quem não deve e todas se ajudam embelezando umas às outras, passando o batom e penteando os cabelos. A parte lúdica do vídeo é um mundo invertido onde as garotas são flamigos, um símbolo da alma em ascensão, a qual deixa as trevas para encontrar a luz; e também quando andam sobre a água da piscina, tão qual Jesus Cristo, porém desabam sobre ela revelando não serem tão fortes quanto pensam. Ao final do clipe, Dua Lipa é quem cuida da sua amiga que passa pela mesma situação que ela vivenciou, uma mensagem de sororidade.

Dua Lipa não precisou de nenhum artifício clichê do pop e nem polemizar para ser sucesso, o clipe de “New Rules”, lançado em 7 de julho, conta com mais de 100 milhões de visualizações e a música está em primeiro lugar por duas semenas consecutivas no Reino Unido, desde “Hello” de Adele (2015) que uma cantora não ocupava o primeiro lugar do chart. E em tempos no qual o ódio e uma onda conservadora vem se alastrando, em tempos no qual as cantoras pops hitam soltando shades, a mensagem de sororidade de Dua Lipa em “New Rules” é mais que necessária na música pop.

Facebook Comments

João Gusmão é formado em Letras pela UFPE, é professor, corretor e freelancer. Escreve sobre música e comportamento, apreciador de música brasileira e literatura contemporânea. Publica mensalmente no dia 8, save the date | Para segui-lo no Facebook: /joaoagusmao

2 Comments

  1. Tem um coisa em mim que escuta essa música, entende a importância dela, mas quando olha para a postura chique catálogo de moda dessa menina não consegue comprar que essa militância seja algo que faça parte dela, parece uma coisa bem fake.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Último post de Música

Ir para o Topo
Pular para a barra de ferramentas