CONSCIÊNCIA COLETIVA

Nove séries que retratam o psicológico humano

em Novidades/Séries/TV e Séries por

O Brasil é rei de datas comemorativas que são distribuídas, inclusive, para celebrar profissões. Assim, no dia 27 de agosto, no nosso país, comemorou-se o dia do Psicólogo. Por esse motivo, trago para vocês 9 séries que tratar do psicológico humano.

1) Hannibal

Com certeza um dos mais intrigantes e fascinantes personagens, o psiquiatra canibal Dr. Hannibal Lecter dá um show, seja na literatura, no cinema e, nesse caso, na série de (apenas e infelizmente) três temporadas. Por não ser uma série típica, ela, para minha tristeza, foi cancelada na terceira temporada, no entanto, como um brinde para os fãs, a última temporada foi construída de forma tão poética e artística que a sensação é de que estamos dentro de um grande e complexo sonho/pesadelo com profundas e conturbadas relações humanas e psicológicas.

O enredo se dá envolta do personagem Will Graham (Hugh Dancy), um talentoso e perturbado fornecedor de perfis de criminosos ao FBI. Will possui a habilidade de demonstrar empatia inclusive com psicopatas, o que faz com que ele, ao observar a cena de um crime, consiga traçar passos motivadores do serial killer investigado. Um caso específico faz com que Dr. Lecter (Mads Mikkelsen) seja procurado para ajudar no desafio de encontrar um serial killer específico. Essa parceria torna-se, ao mesmo tempo, perigosa e sublime de se assistir. Confiram!

2) The Fall

Seguindo o padrão criminológico, The Fall é construída em torno de Stella Gibson (a rainha Gillian Anderson) – uma detetive superintendente que é chamada a Belfast para investigar uma série de assassinatos – e Paul Spector ( 50 tons de Jamie Dornan) – um psicólogo especializado em traumas e pessoas com tendências suicidas, pai, esposo e o serial killer que Gibson procura.

Construída do ponto de vista de ambos os personagens, vemos a difícil luta de uma detetive para entender o pensamento conturbado de Spector (coisa que, tal como em Hannibal, acontecerá principalmente na terceira temporada, depois das descobertas do seu passado sombrio) e a perspectiva de Paul que divide sua mente perturbada entre pai amoroso e assassino fetichista.

É uma série que vale muito a pena tanto pra quem gosta de séries que envolvam o psicológico humano quanto para quem gosta de uma boa série policial.

3) The Following

Amado por uns e por outros nem tanto, The Following narra a relação entre o maquiavélico, persuasivo e carismático serial killer, Joe Carroll (James Purefoy) – que escapa do corredor da morte – e o ex-agente do FBI Ryan Hardy (Kevin Bacon) – o responsável pela prisão de Joe nove anos antes dele escapar. Perito no pensamento de Carroll que utiliza uma filosofia pautada numa perspectiva fatalista da vida inspirada na arte, principalmente nas obras de Edgar Allan Poe, Hardy precisa se esforçar para vencer suas barreias psicológicas e físicas, resquícios do esforço para a primeira prisão de Carroll, para conseguir prender Carroll novamente.

O problema é que, no decorrer da série, vemos que Ryan não está perseguindo apenas Joe, mas um culto maciço de fies seguidores dispostos a matar e morrer seguindo cegamente a filosofia de Carroll.

4) River

Série em 6 episódios produzida pela BBC e adquirida pela Netflix, River é estrelada por Stellan Skarsgård. A série se desenvolve através do mote “eu vejo gente morta”. No entanto, a série aborda esse tema já um tanto comum de forma diferente. Ela começa nos deixando em dúvida: River, um detetive sueco que trabalha no Reino Unido, vê gente morta ou ele convive com projeções/alucinações de pessoas que já morreram? Ele tem um dom ou precisa de tratamento psicológico? Esses e outros problemas são retratados durante um contexto extremamente difícil: seu estágio de luto pelo assassinato da sua parceira detetive. A série, então, retrata a difícil luta de homem com psicológico abalado que tenta aceitar, mas principalmente entender, o assassinato da sua parceira.

5) Dexter

Série da Showtime finalizada em 2013, Dexter arrasta uma legião de fãs, mas se você ainda não conferiu essa série de oito temporadas (apesar de alguns altos e baixos nesse tempo) ela vale muito a pena! Uma das minhas séries preferidas, Dexter narra a história de Dexter Morgan (Michael C. Hall), um analista forense do Departamento de Polícia de Miami, especialista em sangue e serial killer. Dexter possui traumas de infância que fizeram com ele desenvolvesse um prazer vital por assassinar seres humanos. Tendo sido treinado, ele foca esse desejo incontrolável em casos perdidos da polícia, matando, assim, os bandidos que a justiça deixou escapar. A série é repleta de situações conflitantes ética e moralmente, que só pioram no decorrer da série. Prepare-se para amar, odiar e amar novamente alguns personagens!

6) Bates Motel

Bates Motel, série em 5 temporadas encerrada esse ano (2017), é baseada no clássico cinematográfico Psicose (1960) de Alfred Hitchcok. Assumindo o complexo desafio de retratar a história anterior aos fatos retratados no filme, Bates Motel foca a relação perturbadora de Norman Bates (Freddie Highmore) e de sua mãe Norma Bates (Vera Farmiga). A série é um crescente de conflitos, mistérios, qualidade(!) e loucura; esta que, quando representada através do olhar de Norman, busca nos dar um pouco do sabor do que é a verdade para uma mente abalada. A série é um pouco morna no início, mas (quase) tudo é necessário para nos familiarizarmos com as relações entre os personagens principais e os fatos que levam ao ápice do conflito. Quem ainda não viu, não deixe de conferir!

7) Criminal Minds

Série iniciada em 2005, Criminal Minds retrata a realidade da  Unidade de Análise Comportamental em Quântico – unidade a qual o FBI recorre quando não exitem mais provas para investigar um crime ou sequência de crimes. A unidade analisa o perfil dos suspeitos, se inserindo no coração do crime, ou seja, o comportamento dos criminosos para traçar os seus pensamentos, em vez de se focarem nos elementos superficiais – evidências de laboratórios e outras provas coletadas após o crime. Cada membro da equipe possui um talento específico nessa empreitada que, passo a passo, os levam a fechar o certo e descobrir o verdadeiro criminoso.

8) Lie to me

Série da Fox em três temporadas, Lie to me retrata o dia a dia de um grupo de especialistas liderados pelo Dr. Cal Lightmn, em detectar mentiras com base na análise comportamental. Pequenas expressões e gestos são utilizados por essa equipe para interpretar o comportamento de diversas pessoas, sempre prestando serviços para diversas instituições – FBI, empresas, polícia e pessoas comuns.

9) Awake

Awake é uma série de única temporada, mas que com seus treze episódios conseguiu construir e finalizar uma história pesada e bastante interessante. Awake narra a complexa realidade pós-acidente do detetive Michael Britten que, ao acordar, se vê inserido em duas realidades paralelas: em uma, o acidente matou sua esposa, Hannah; na outra, o seu filho Rex. Com o passar dos episódios, somos mergulhados no intrigante subconsciente de Michael: afinal, qual realidade é a verdadeira? Há uma realidade verdadeira? Ambas são reais?

Facebook Comments

Dany é formada em Letras. Escreve principalmente sobre séries. É apaixonada por literatura e boa comida. Publica mensalmente dia 13, save the date | Para segui-la no twitter ou no Instagram: @teofaga

3 Comments

  1. Sigo vcs tem uns meses e adoro os textos, uma dica, façam mais listas como essa, vcs conseguem fazer a gente se empolgar. Parabéns Daniela.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Último post de Novidades

Ir para o Topo
Pular para a barra de ferramentas