CONSCIÊNCIA COLETIVA

O que achamos: Paixão Obsessiva

em Cinema/O que achamos por

Review

Nota de Priscila
5/10
Média
5.0/10

Paixão Obsessiva (Unforgettable, 2017) é um filme dirigido, escrito e estrelado por mulheres, mas não para mulheres. A maneira superficial de tratar assuntos sérios como a obsessão e as patologias da mente fazem com que esse seja um filme covarde e sem significado para o espectador.

O longa conta a história de Julia (Rosario Dawson) que se muda para uma pequena cidade na costa oeste da Califórnia para viver com seu noivo. A sua nova vida inclui tentar escapar de um passado relacionamento abusivo e estabelecer uma relação com a filha do noivo e Tessa (Katherine Heigl), ex-esposa de seu companheiro atual, que não consegue superar o fim do relacionamento e passa a tramar diversas maneiras de remover Júlia das suas vidas.

Assim como o nome que o filme recebeu no Brasil, você já viu essa história antes. A falta de pretensão do filme pesa na condução e as resoluções da trama vão sendo decodificadas facilmente. Tudo é entregue mastigadinho para que o espectador não tenha, sequer que pensar adiante. O filme, que foi vendido como triller de suspense, não inspira muita criatividade.

Cartaz Oficial no Brasil

Ao mostrar mais uma vez a história de uma mulher que coloca em outra mulher toda a culpa pelo fim da sua vida perfeita, o filme peca e muito em por não explorar assuntos mais sérios, arranhando superficialmente os problemas que realmente levam Tessa a fazer o que faz. Existe potencial nesse tipo de abordagem, principalmente quando o roteiro está disposto a conduzir a plateia aos detalhes, ao que existe em camadas menos superficiais.

Mesmo assim o filme deve agradar os fãs de Rosário Dawson e de Katherine Heigl; vale a oportunidade de ver as duas em cena e elas não fazem feio, Rosário entregando o que promete e Heigl tentando apagar a imagem de boa moça. Se você curte o estilo supercine, aquele suspense típico do sábado à noite na tv, deve sair satisfeito, se procura algo com mais nuances, pode sair pouco entusiasmado.

Último post de Cinema

Ir para o Topo
Pular para a barra de ferramentas