CONSCIÊNCIA COLETIVA

MTV anuncia que vai usar títulos com gênero neutro para as categorias da sua premiação de filmes e séries

em TV/TV e Séries por

O antigo “MTV Movie Awards”, agora chamado “MTV Movie & TV Awards” vai trazer uma outra novidade além de seu nome: os concorrentes das categorias “best actor in a movie” (melhor atuação em filme) e “best actor in a show (melhor atuação em TV) serão homens e mulheres.

O que significa que as nomeações, que aconteceram no dia 06/04/2017, mostram que a Rainha dos Dragões de Game Of Thrones, Emilia Clarke, vai competir na categoria TV com a estrela (quase) mirim Millie Bobby Brown, de Stranger Things. Dentre os 6 nomeados, 4 são mulheres; as outras duas a compor o painel são Gina Rodriguez, em Jane The Virgin, e Mandy Moore, em This Is Us. Os outros dois lugares são de Donald Glover (criador e ator principal em Atlanta) e de Jeffrey Dean Morgan, pela participação em The Walking Dead.

Novo logo da premiação

Na categoria de cinema, a quantidade de homens e mulheres competindo é igual, com Daniel Kaluuya (estrela do esperadíssimo Get Out – que só estreia aqui lá pelo meio do ano) enfrentando a “Bela” Emma Watson; fora estes, também vêm Hailee Steinfeld, muito boa em Quase 18, Hugh Jackman com Logan, James McAvoy em “Fragmentado” e Taraji P. Henson, por “Estrelas Além do Tempo”.

Além disso, o prêmio terá duas novas cagtegorias: Melhor História Americana, onde competem filmes que mostram o melhor da “diversidade e abertura” dos Estados Unidos (rs), e Melhor Luta Contra o Sistema, que vai premiar uma obra onde os personagens não são derrubados pela opressão.

As obras que conseguiram mais chances de levar o prêmio foram o filme de horror psicológico de raça Get Out (com seis nomeações), e A Bela e a Fera e Stranger Things, que conseguiram quatro cada um. A premiação acontece dia 7 de maio.

É muito interessante observar essa mudança social que vem acontecendo dentro da mídia mainstream: homens e mulheres nas mesmas categorias, competindo por um mesmo prêmio, mostra a igualdade com a qual todos(as) nós sonhamos – mas que ainda está longe de acontecer. Mulheres ainda recebem (bem) menos que homens, em qualquer instância profissional – e isso é algo que precisa ser debatido sempre; se formos levar em conta recortes de raça e classe, isso piora drasticamente.

Indo na mesma onda, os novos “prêmios” desse evento tentam trazer algo “a mais” para um público que talvez não preste tanta atenção à “abertura e diversidade” norte-americana, ou que ainda não queiram lutar contra a opressão desse sistema ferrenho – mas é ainda bastante triste perceber que há a necessidade de singularização destes feitos. Prefiro acreditar que tudo isso sendo feito é parte de um processo até chegar a uma melhoria mais abrangente – mas precisamos ver que ainda estamos no início dessa jornada.

Confira a lista de indicações aqui

Fonte: PinkNews
Facebook Comments

Professor de inglês e problematizador 24h por dia, ainda tem um pezinho na insegurança que insiste em lhe rodear. Já foi fã de Xuxa, de Sandy e Júnior e de Britney Spears – hoje se acha muito cult por ser fã de Rachel Bloom. É o que tem pra hoje, né?

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Último post de TV

Ir para o Topo
Pular para a barra de ferramentas