CONSCIÊNCIA COLETIVA

Luta, dor e esperança: 6 poemas escritos por mulheres que você precisa ler

em Leitura/Nacional por

Selecionamos 6 poemas que merecem ser lidos no dia de hoje (Dia da Mulher), todos escritos por mulheres. Os versos abaixo refletem uma vida de luta, uma perseverança e uma vontade de transformar o mundo que atravessa o tempo. As poetisas, brasileiras e estrangeiras, diante de um mundo que silencia as mulheres, encontraram na arte um caminho de propagação, uma possibilidade de mudança.

1.Mulher da vida –  Cora Coralina

Mulher da Vida,

Minha irmã.

De todos os tempos.

De todos os povos.

De todas as latitudes.

Ela vem do fundo imemorial das idades

e carrega a carga pesada

dos mais torpes sinônimos,

apelidos e ápodos:

Mulher da zona,

Mulher da rua,

Mulher perdida,

Mulher à toa.

Mulher da vida,

Minha irmã.


2. Espelho –  Sylvia Plath

Sou prateado e exato. Não tenho preconceitos.

Tudo o que vejo engulo imediatamente

Do jeito que for, desembaçado de amor ou aversão.

Não sou cruel, apenas  verdadeiro –

O olho de um pequeno deus, de quatro cantos.

Na maior parte do tempo medito sobre a parede em frente.

Ela é rosa, pontilhada. Já olhei para ela tanto tempo,

Eu acho que ela é parte do meu coração. Mas ela oscila.

Rostos e escuridão nos separam toda hora.

Agora sou um lago. Uma mulher se dobra sobre mim,

Buscando na minha superfície o que ela realmente é.

Então ela se vira para aquelas mentirosas, as velas ou a lua.

Vejo suas costas, e as reflito fielmente.

Ela me recompensa com lágrimas e um agitar das mãos.

Sou importante para ela. Ela vem e vai.

A cada manhã é o seu rosto que substitui a escuridão.

Em mim ela afogou uma menina, e em mim uma velha

Se ergue em direção a ela dia após dia, como um peixe terrível.


3.  A Rosa –  Carolina Maria de Jesus

Eu sou a flor mais formosa

Disse a rosa

Vaidosa!

Sou a musa do poeta.

Por todos sou contemplada

E adorada.

A rainha predileta.

Carolina Maria de Jesus – foto: (…)

Minhas pétalas aveludadas

São perfumadas

E acariciadas.

Que aroma rescendente:

Para que me serve esta essência,

Se a existência

Não me é concernente…

Quando surgem as rajadas

Sou desfolhada

Espalhada

Minha vida é um segundo.

Transitivo é meu viver

De ser…

A flor rainha do mundo.


4.  Resgate – Alzira Rufino

Sou negra ponto final

Devolvo-me a identidade

Rasgo a minha certidão

Sou negra

Sem reticências

Sem vírgulas sem ausências

Sou negra balacobaco

Sou negra noite cansaço

Sou negra

Ponto final


5.  “I’ve ceded—I’ve stopped being theirs” – “Eu renunciei – parei de pertencer a eles” –  Emily Dickinson (Tradução Djalma Wanderley)

Eu renunciei – parei de pertencer a Eles –

O nome que Eles me enfiaram goela abaixo

Com água, na igreja do interior

Parou de funcionar, agora,

E Eles podem coloca-lo junto a minhas Bonecas,

Minha infância, e a linha dos carretéis,

Eu terminei de fiar—também–

Batizada, antes, sem escolha

Mas agora, conscientemente, de Graça —

Com um nome mais do que supremo —

Chamada ao meu Inteiro — O Crescente acabou —

Todo o Arco da existência, completo,

Com um singelo Diadema.

Minha segunda Categoria —muito baixa a primeira

Coroada—Cantando—no peito do meu Pai—

Uma Rainha meio inconsciente—

Mas desta vez—Adequada—Ereta,

Com o Poder de escolher, ou rejeitar,

E eu escolho, apenas uma Coroa—


6.  Woman to Man – Da mulher para o Homem –  AI  (Tradução Djalma Wanderley)

O raio atinge o telhado

enfia a faca, escuridão,

bem fundo nas paredes.

Ele sangra luz por sobre nós

e seu rosto, o leque, se dobra,

para que eu não perceba o medo

de estar comigo que você tem.

Não nos misturamos, nem na cama,

onde geralmente acabamos.

Não há porquê esconder:

você é a neve e eu, o carvão,

tenho cicatrizes que atestam.

Mas abra sua boca,

te darei o gosto do negro

que não esquecerás.

Por um tempo, vou deixar ele te tornar forte,

fazer do teu coração um leão,

e então o tomarei de volta.

Raphael é professor, formado em Ciências Econômicas, Letras e atualmente se dedica ao mestrado em Educação. Escreve sobre música, comportamento e cinema. É apaixonado por Twin Peaks, playlists e quase sempre pelos amigos | Para segui-lo no Twitter: @RaphaelAlves

Último post de Leitura

Ir para o Topo
Pular para a barra de ferramentas