CONSCIÊNCIA COLETIVA

Retrospectiva 2016: As personalidades que roubaram a cena

em Opinião por

Aqui vamos registrar quais as figuras públicas que se destacaram esse ano e que merecem ter o nome na história.

Nessa categoria tivemos votos bem diferentes uns dos outros, mas uma coisa é verdade: todos os nomes citados são de mulheres, e isso é maravilhoso!

Igor Icael escolheu a cantora Rihanna, que lançou disco esse ano e foi bastante premiada.

Após sofrer duras críticas de boa parte do publico sobre o seu novo álbum, o “Anti”, a cantora dá a volta por cima e emplaca um hit atrás do outro com o novo disco, é homenageada no Video Music Awards, recebeu atenção intensa dos tabloides pelo seu romance com o rapper Drake, além de cantar uma das músicas de maior sucesso de 2016: This is What u Came For. Rihanna se destacou positivamente neste ano, e esperamos muito mais dela em 2017.

Rihanna

João Gusmão justificou o seu voto assim:

Nesse ano conturbado politicamente no Brasil, no qual homens foram protagonista – sobretudo na corrupção –, a figura de uma mulher de fibra, lúcida e coerente se destacou, não estou falando da nossa ex-presidenta, mas sim de Gleisi Hoffmann, senadora do PT curitibana. Você pode até dizer que o nome dela foi citado em escândalos de corrupção, porém ainda nada foi provado.  

Gleisi Hoffmann

A oscarizada Brie Larson, de acordo com Djalma Wanderley, foi o verdadeiro destaque.

Não pude falar sobre O Quarto de Jack por motivos técnicos (rs), mas ela é pra mim uma das melhores coisas que aconteceram a 2016. Desde sua atuação, e seu reconhecimento pela academia e pelos críticos, a atriz tem sido bastante vocal sobre seus posicionamentos políticos, inclusive sobre estupro e aborto. Infelizmente, estando num local de privilégio, isto é algo a se aplaudir hoje em dia.

Do Cinema para a Tv, Paulo Besz não poupou elogios à Eva Green.

Desde a primeira vez que pousei os olhos nessa mulher achei ela fantasticamente linda, depois parei para analisar a maneira como ela dá vida aos personagens que interpreta, e mais uma vez me senti encanado. Eva consegue ter um domínio muito grande sobre os personagens que interpreta, chegando a tirar o foco dos outros atores que contracenam com ela graças a maestria com que atua. Na serie de TV, Penny Dreadfuln sua expressão corporal é tão magnífica que nem precisaria falar para expressar o que é necessário. Saudades Miss Ives <3 

Amaro Souza, também ficou no cinema e escolheu a sensacional Sônia Braga.

Dona de uma presença sem igual e em ótima forma no filme Aquarius, pois carrega consigo a contribuição que já fez ao cinema brasileiro.

Sônia Braga

Raphael Alves ficou com a vencedora do Prêmio Cláudia, Maria Clara de Sena.

Maria Clara de Sena

Esse ano eu tive contato com muitas mulheres importantes nas redes sociais, me aproximei e torci por pessoas  fantásticas. Maria Clara foi indicada ao Prêmio Cláudia, mas eu já conhecia um pouco do seu trabalho, escutei um dos seus discursos de perto e deixei o lugar tão pensativo, tão impactado pela sua força e pela sua luta, que essa imagem jamais sairá da minha cabeça. Acompanhei a sua candidatura ao prêmio, votei muito, fiquei assistindo todos vídeos que ela postava nos bastidores, com a certeza de que o Brasil precisa de mulheres assim. Ser a primeira mulher trans vencedora de um prêmio como esse, é uma conquista muito grande para ela e para quem representa a sua luta. De longe é a personalidade que mais se destacou em 2016. 

Rebecca Sugar

Pedro Henrique escolheu Rebecca Sugar,  a diretora de animação, compositora e desenhista, que presenteou o mundo com a magnífica série animada, Steven Universo.

De Steven pra cá, a criação de Sugar evoluiu de uma forma espetacular e completamente inesperada! Através de sua série animada marcada pela fofura, suas músicas vibrantes e seu humor ora pastelão ora sagaz, Sugar tem sido capaz de abordar temáticas antes inimagináveis numa produção infantil de tevê aberta americana, como sexualidade (a série já apresentou personagens homossexuais e tem personagens abertamente lésbicas no seu time de protagonistas, além de personagens não-binários). Com sua mensagem positiva de amor e aceitação, Sugar tem atingido o coração de milhares de crianças, adolescentes e adultos ao redor do mundo e vem se posicionando com cada vez mais segurança e força diante do público que a acolheu de braços abertos. Este ano, ela não só admitiu que a temática LGBT está presente na sua obra como parte da sua própria experiência como uma mulher bissexual como também vem lançando uma série de vídeos no YouTube, em parceria com o Cartoon Network, voltados a ajudar, entre outras coisas, crianças tímidas, inseguras e reclusas a se expressarem através da arte e de outros meios e a se aceitarem. Se até poucos anos atrás, seria impossível para qualquer criança LGBT olhar para a TV e se identificar com um personagem de seu desenho favorito, Rebecca Sugar foi a mulher que mudou essa realidade e, por isso, merece sim muito da nossa admiração.

Tivemos, como não podia deixar de ser,  três votos merecidos e honrosos para Dilma Rousseff.

Dilma Rousseff

Ricardo Alves votou que pela resiliência.

Everly votou pela firmeza com que a presidenta eleita encarou o golpe e o machismo.

Diogo Stanley disse:

Sofreu um golpe de estado e foi retirada da presidência da republica, viu seus torturadores serem exaltados por políticos fascistas, teve sua honra e privacidade violadas. E até agora não teve NADA que provasse seu envolvimento em ilicitudes. Não é à toa que a revista Financial Times a elegeu uma das mulheres do ano. A história vai mostrar as atrocidades sofridas por essa mulher. Dilmãe


Encerramos o post com uma pergunta :

Who run the world?

e uma resposta:

Girls!

Facebook Comments

2 Comments

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Último post de Opinião

Ir para o Topo
Pular para a barra de ferramentas