CONSCIÊNCIA COLETIVA

Se pretende ir ao Chile, não deixe de visitar Valdivia!

em Lugares/Opinião por

Para quem pretende visitar o Chile, a boa pedida é ir até Valdivia, uma cidade muito charmosa e com muita história para contar. Apesar de não ser preferência unânime entre os turistas, que preferem Santiago, Vinã del mar, Valparaíso e San Pedro de Atacama (que são ótimas pedidas também!), vale a pena visitar essa região, que passou a ser conhecida mundialmente quando sofreu com um terremoto de 9,5 pontos na escala Richter (o maior da história) e posteriormente um tsunami. A cidade afundou aproximadamente dois metros após o ocorrido.

Hoje, muito tranquila, localizada bem ao sul, em uma região entre rios, o lugar tem uma vida noturna bastante agitada. Bares e restaurantes são opções indispensáveis quando a noite chega. Durante o dia, os museus, o mercado fluvial, a caminhada revigorante pelas ruazinhas (repletas de atrativos) e a paradinha para observar os lobos marinhos já garantem um ou dois dias de passeio bem aproveitados.

Algumas horas podem ser dedicadas também para uma visita ao Jardim Botânico de Isla Teja, pertinho dali, no campus da “Universidad Austral de Chile”. O Parque Oncol é outra opção interessante, um lindo lugar onde depois de uma trilha de alguns quilômetros pode-se chegar a um mirante e apreciar um visual estonteante.

Parque Oncol

O que não pode ficar de fora é uma visita a Niebla, que fica a 30 minutos do centro. Com seu imponente forte e uma vista inacreditável do Pacífico, pode-se adentrar ao museu do forte e conhecer bastante sobre a história do lugar. No final, você até pode viver aquele momento “mico básico de viagem ” e alugar umas roupas de época para tirar fotografias.

Niebla

Enquanto a maioria das garotas escolhiam seus vestidos enormes de época, eu por exemplo, decidi ser um soldado espanhol (para surpresa da mulher que me ajudou com a vestimenta). Foi muito divertido. Essas fotos, claro, estão escondidas para sempre, mas vivas na minha memória.
A volta de Niebla ao centro é tranquila e, como fiz essa trajetória no fim da tarde, pude presenciar o mais lindo por do sol que já vi na vida. Também encontrei pelo caminho as chamadas “ferias costumbristas” (que ocorrem nos meses de janeiro e fevereiro), uma boa oportunidade para apreciar a música, a comida e a bebida local. Falando nisso, cuidado com a chincha (bebida mapuche), pois dependendo do tempo de fermentação elas podem ser bem fortes. ​

Para quem decidir fazer essa viagem partindo de Santiago, estiver de carro e com espírito aventureiro, aconselho a dar uma pequena desviada e conhecer Temuco. O mercado municipal de lá tem vários restaurantes com preços justos e muito artesanato. Quem quiser sair da dieta, vale experimentar os pães mapuches também, mas isso comentarei em outra oportunidade.
​Para quem vai, boa viagem!

Everly é formada em Letras, estudante de Direito e atua em área relacionada ao Direito do Consumidor. Escreve, principalmente, textos de opinião sobre os mais variados temas e é apaixonada por viagens. Publica mensalmente dia 30, save the date Para segui-la no instagram: @everlynascimento.

Ir para o Topo
Pular para a barra de ferramentas