CONSCIÊNCIA COLETIVA

12 Momentos gloriosos da carreira de Britney Spears!

em Homenagem/Música por

Nesse 2 de dezembro comemoramos o aniversário de Britney Spears. Em 2016, Britney já deixou seus fãs bastante felizes com o lançamento do “Glory”, seu nono álbum de estúdio. Apesar de não ser um sucesso comercial relevante, esse trabalho deixou seus seguidores (e críticos) mais do que satisfeitos novo com o direcionamento dado pela cantora, que agora completa 35 anos.

Mas uma carreira tão longa dá espaço para acertos e erros. E como a proposta é divulgar e enaltercer nessa data especial, de forma totalmente arbitrária, fizemos uma lista de 12 pontos altos da carreira da Ms. American Dream junto com alguns comentários e curiosidades. Com mais de 18 anos de carreira, com certeza existe muita informação escondida por aí. Aproveite e fique ainda mais por dentro de algumas delas:

1.Baby One More Time no Ricki Lane

Britney é famosa por quase sempre dublar em suas apresentações. Mas no começo da carreira, obviamente que ela não poderia se dar ao luxo de dublar, senão seria massacrada de cara. Sendo uma jovem que cresceu nos anos 90, onde as divas da voz Mariah, Celine e Whitney dominavam todas as paradas, era natural que uma menina que sonhava em ser cantora tentasse de alguma forma atingir um grau de reconhecimento cantando de forma parecida. Britney nem de longe tem o alcance vocal das cantoras citadas, mas isso não impediu que o seu single de estreia se tornasse uma das músicas pop mais famosas da história.

2. Sometimes/Crazy na Nickelodeon

Escolhi essa performance para que seja mais perceptível a mudança de direcionamento na carreira. Começando cantando (ao vivo) uma versão meio que acapella de “Sometimes”, logo tudo é abandonado para valorizar dança e sincronia com dançarinos e um playbackão de fundo. Esse tipo de performance foi o que dominou o mundo pop entre 1999 e 2001, e por isso Britney é era a mais famosa e reconhecida popstar da sua época: porque era a melhor. Talvez esse tipo de apresentação não seja mais tão interessante para os jovens de hoje em dia, mas cada um tem seu tempo de destaque.

3. VMA 2000

Britney e o VMA tem uma história e tanto, mas foi nessa performance que ela, então com 18 anos, deu o recado ao mundo:  cresceu, e iria explorar a sexualidade ao extremo. Percebam a diferença de figurinos em relação ao da última performance. Em uma época onde a maioria das pessoas ainda não tinham internet em casa (pois é, acredite), e também devido a sua idade, essa performance chocou todo o mundo, com direito a protestos nos EUA e tudo mais. Sassy! A partir disso também iniciou-se a Britney-Domination. Fica saturado em ouvir falar sobre Taylor Swift hoje me dia? Imagine isso triplicado!

4. Dream Within A Dream Tour

Em 2001, depois de ter rodado o mundo todo com duas turnês seguidas, Britney lançou uma turnê que ficou apenas nos Estados Unidos (e shows específicos no Japão e México) chamada “Dream Within A Dream Tour”, para apoiar o álbum “Britney”. A turnê é uma super produção de mais de milhões de dólares, e se você assistir hoje, vai achar que foi gravado nesse ano tamanha a sua qualidade tecnológica para a época. Está a venda em DVD com o nome “Britney Spears Live From Las Vegas”, sendo o seu DVD mais vendido. Nesse vídeo em específico, foi divulgada a voz em que ela cantou durante um show em Albany (num programa bem esquisito do Japão) e serve de curiosidade para saberem como é a voz sem playback – mas atenção: pessoas presentes no show ouviram o playback mesmo, tá? Essa voz não é liberada ao público presente hahaha.

5. Britney e Michael Jackson!

Essa apresentação não ganha tanto destaque ultimamente, mas deveria. Na verdade, a história é meio que inusitada, já que Michael nem estava tão interessado em conhecer Britney, e sim Justin Timberlake. Em uma reunião que em teoria só teriam homens, Britney deu um jeito e foi junto com Justin. Acabou que Michael ficou encatado com sua humildade e doçura (“ela parece uma Barbie”, disse) e acabaram surgindo diversos convites (ela também apresentou um prêmio da MTV dado a ele no ano seguinte). Eles não eram próximos, mas foi interessante. Na época também surgiram rumores de que Michael a havia convidado para ser a musa da música “Heartbreaker”, que seria o próximo single do álbum Invincible que ele havia lançado naquele ano. Mas a divulgação do álbum foi confusa e acabou não rolando nada.

Essa performance também tem outra curiosidade: só foi transmitida ao vivo e depois nunca mais. Por isso existe uma versão solo em HD (que passou nas reprises) somente com Michael e uma dançarina, enquanto que a com Britney é em qualidade questionável, já que não foi reprisada por motivos contratuais.

6.  Britney e Madonna!

Precisa comentar? Na época, existiam rumores de que Jennifer Lopez e Pink foram convidadas para ficar no lugar de Christina. Como nenhuma aceitou, Aguilera acabou topando e foi ensaiar. Na verdade não tem ‘shade’ nenhum nisso, muito pelo contrário: as vozes de Jennifer e Pink são muito mais próximas de Madonna e Britney do que Christina, por isso casaria melhor. Mas o resto é história… Em todo o caso, o microfone de Christina foi desligado/diminuído durante a música “Hollywood” – reparem no vídeo. A voz dela foi ‘resgatada’ na música quando Madonna decidiu incluir a apresentação no álbum “Remixed & Revisited”. Nessa época Christina Aguilera estava muito ácida na mídia em geral, e tentou menosprezar Britney de todas as formas possíveis. Por alto, ela disse que ‘alguém cantou ao vivo nos ensaios e na hora dublou’. Para completar, na festa após a premiação, usou um Button escrito “I Fucked Britney Spears’, pois acreditava que tinha ofuscado a loira. O tempo tratou de resolver essa questão…

7. Toxic

Basta tocar 3 segundos dessa música em qualquer lugar do mundo que todos irão reconhecer. Grande marca na carreira, a música foi originalmente oferecida a Kylie Minogue, que recusou (coisa bastante comum de acontecer, aliás). Teria a mesma repercussão com Kylie? É difícil saber, já que Kylie não é exatamente uma dançarina. Aproveitando-se do seu forte apelo visual/sexual, Britney tratou de fazer um dos seus vídeos mais icônicos. No vídeo em que escolhi, ela faz a sua melhor apresentação da música.

P.S.: programa de calouros, parem de fazer covers-baladas de “Toxic”. Isso é tão broxante e sem inspiração…

8. Gimme More

De 98 a 2004 trabalhando exaustivamente para se firmar na indústria, Britney decidiu que em 2005 iria dedicar-se mais a sua vida pessoal. Casou-se e teve dois filhos praticamente seguidos (são poucos meses de diferença) e ficou sem lançar álbum de estúdio por 3 anos. Até hoje não podemos dizer o que aconteceu com certeza durante essa época bastante conturbada, mas ela nos trouxe o seu álbum mais aclamado pela crítica e um primeiro single que deixou sua marcar: It’s Britney, bitch. Durante as sessões do Blackout, vários produtores comentaram sobre as mudanças de comportamento da cantora. Enquanto os álbuns anteriores tiveram apoio de grandes empresários e da própria gravadora, nesse Britney acabou tendo que fazer as coisas praticamente sozinha, tanto que assina a produção executiva (coisa que nunca tinha acontecido). As demos do álbum vazaram na internet praticamente um mês antes do lançamento.  O clipe é bem dispensável, mas a música é o extremo oposto!

9. Todo o “Circus”

O que importa é que Britney conseguiu sair do redemoinho negativo e dar a volta por cima. Depois de sair da clínica psiquiátrica, Britney reatou com seu antigo empresário, Larry Rudolph, que a incentivou a gravar novas músicas, afim de se distrair das consequências dos problemas criados anteriormente. O resultado foi o disco “Circus”, que fez muito sucesso em geral e lhe rendeu a turnê mais lucrativa de sua carreira. No entanto, considero as músicas bônus do disco melhores do que as que entraram para a versão oficial – o que parece ser uma constante em sua carreira. Dessa época, sugiro ouvir Amnésia.

10. Till The World Ends

Apesar do nome chamativo, a era “Femme Fatale” não tem quase nada de empolgante. Britney estava estranhíssima, com uma aparência sonâmbula e as vezes até irreconhecível, sugerindo que nem tudo parecia bem por ali. No entanto, esse é o álbum que lhe rendeu os maiores sucessos radiofônicos de sua carreira nos Estados Unidos. Foram três hits seguidos por lá: Hold It Against Me, Till The World Ends e I Wanna Go. O álbum ainda teve a música “Criminal” como single, que foi um grande hit no Brasil. Esse é praticamente um álbum de produtor, onde a participação da cantora ficou resumida a voz, o que aumentou ainda mais os rumores da época. Apesar disso, o resultado foi satisfatório para fãs e críticos.

11. EDMney

Recentemente, descobrimos que a residência de Britney foi sugerida em 2010. Segundo um dos seus empresários, Britney não tinha mais interesse em viajar o mundo com turnês pois preferia priorizar os seus filhos, mas ainda tinha o desejo de se apresentar. Iniciou-se então a caçada por lugares onde ela poderia fazer shows sem ter que se deslocar muito. Nova York, Londres e até a China estavam entre as possibilidades, mas tudo acabou indo parar em Las Vegas. E porque não aproveitar a oportunidade para ganhar dinheiro?! Como fã, seria até melhor um single avulso ou até mesmo um EP de 5 músicas, mas ao invés disso tivemos que um álbum com batidas nada interessantes e músicas de segunda categoria no álbum “Britney Jean”. Pouca coisa se salva ali, e Work Bitch é uma delas (e talvez mais umas outras três músicas – sendo muito otimista). A produção foi uma bagunça, com produtores enviando demos e depois recolhendo por mudança de direcionamento, e também com uma Britney pouco presente, pois estava produzindo e ensaiando o show da residência. Algumas músicas tem erros grotescos de edição. Sério, o que estavam pensando?

12. Em toda a sua Glória

Durante a sua residência em Las Vegas, Britney conseguiu resgatar muito da suas qualidades como performer, e isso não há como negar. Mas não é muito empolgante acompanhar quase 200 shows praticamente iguais. Por esse motivo, os fãs estavam ansiosos por bom álbum e que ela finalmente voltasse a se apresentar para o grande público. Felizmente tivemos os dois em 2016: ela lançou um álbum de alta qualidade e voltou as grandes premiações! Segundo ela mesma, a equipe de produção desse álbum a fez se apaixonar novamente pela carreira, e o esforço valeu a pena: a felicidade dela em suas apresentações durante 2016 é bem perceptível. A performance escolhida foi a que deu início a felicidade geral: Billboard Music Awards 2016!

 Com milhões de cópias comercializadas, milhões de polêmicas, apresentações e músicas marcantes, Britney com certeza já deixou a sua marca no mundo Pop e não deve nada a ninguém.

PARABÉNS, BRITNEY!
E obrigado!

Facebook Comments

2 Comments

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Último post de Homenagem

Ir para o Topo
Pular para a barra de ferramentas