CONSCIÊNCIA COLETIVA

Monthly archive

novembro 2016

5 músicas dos anos 2000 que não deveriam ter sido esquecidas

em Dicas/Música por

Sabemos que a nostalgia é um estado de espírito essencial para a vida. Repleto de benefícios, capaz de nos ajudar a compreender melhor até mesmo quem somos, o passado virou moda. Todo mundo anda se vestindo do antigo e bebendo sabores de outras décadas. O que nos impressiona é a velocidade com que ele se faz presente. Levávamos 10 anos para falar em passado, hoje, levamos 10 semanas. É por isso que reunimos as 5 músicas que marcaram os anos 2000, aquelas que ainda contavam com a ajuda da MTV e que estavam sempre vivas nos nossos MP3s (aqueles bichinhos…

Continue Lendo

Por que jogar Pokémon Sun & Moon?

em Games/Nerd por

Em 2016 tive a oportunidade de jogar três jogos diferentes de Pokémon: Black, Y e Ômega Rubi, representantes da 5ª e 6ª geração do game, respectivamente. Os últimos já mostraram grande avanço nos gráficos e na inclusão de novidades na jogabilidade, as mega evoluções, contudo repetiam a fórmula de sempre, onde se captura monstrinhos, luta-se com eles até evoluírem, disputa-se insígnias em ginásios e é isso. Prestes ao ano acabar, chega no mercado Pokémon Sun & Moon (lançado no dia 18 de novembro). Lançados no ano de comemoração de 20 anos da franquia e inaugurando a 7ª geração cheia de…

Continue Lendo

The XX lança clipe para “On Hold”

em Música por

Quem estava esperando o vídeo para primeiro single do novo trabalho do The XX já pode ficar feliz. On Hold, um flerte com o eletrônico, foi bem recebida pelo público e ganha uma produção bem fofa, com registros variados da banda inglesa. Confira!

Continue Lendo

Vivendo em Suspensão

em Comportamento/Opinião por

Quem aqui nunca traçou um plano pra o futuro e passou a esperar esse se concretizar pra começar a viver? Quando tiver mais tempo faço isso, ou quando tiver dinheiro vou naquele restaurante que eu curto, quando perder mais 3 quilos vou aceitar o convite pra a casa de praia da Helena. Estou em processo de mudança, psicológica, já que na prática não encaxotei nem meus sapatos, mas estou nesse momento de suspensão, esperando a nova vida começar pra viver. Não faço mais feira para a casa em que estou porque estou de mudança, vocês acreditam nisso? Uma vez ouvi…

Continue Lendo

Fome (2016), um filme que nos ajuda a pensar sobre os caminhos que a vida impõe.

em Cinema/Indicações por

Os limites entre documentário e ficção, apesar de serem bem distantes, hoje em dia são quebrados com facilidade. Desde cine-biorafias que adotam esse estilo para conferir autenticidade, até filmes de terror que utilizam o valor do real para intensificar o clima de horror proposto pelo gênero. Quando somos postos diante de mais um caso desse (FOME), a expectativa é de uma construção de narrativa semelhante, o que só acrescenta ao valor da surpresa que o filme entrega. O filme se propõe a contar a saga de “Malbou”, um morador de rua que perambula pela cidade junto a seu carrinho de…

Continue Lendo

Síndrome da falsa superioridade

em Comportamento/Opinião por

Lembro-me de ter ouvido essa expressão há muito tempo da boca de um psicanalista, o Francisco Dault, em um artigo que ele escrevia para um jornal. O termo, por algumas razões, ficou gravado em minha memória e sempre me remeto a ele na tentativa de re(conhecer) naqueles que me rodeiam traços dessa espécime muito particular de “doença”. Pois bem. A síndrome da falsa superioridade é mais comum do que se imagina. Ela pode estar no outro lado da rua, ou até do outro lado da cama!, na mesa de almoço do domingo familiar, na firma, na fila da balada, na…

Continue Lendo

A crescente representatividade LGBT nas HQs da DC Comics – Parte 2

em HQ/LGBTQI/Nerd por

Já faz algumas semanas que eu falei aqui da Batwoman e de como a DC Entertainment tem feito progresso com a representatividade LGBT nos últimos anos em seu universo fictício de super-heróis. Como uma andorinha só não faz verão, neste texto quero abordar outros proeminentes personagens LGBT que viram um bom momento em suas histórias nos últimos anos! Alysia Yeoh No mesmo ano que todo mundo se decepcionava com a proibição da DC ao casamento lésbico da Batwoman, a escritora Gail Simone nos dava alguma alegria no título da Batgirl ao revelar que a colega de quarto e melhor amiga…

Continue Lendo

5 motivos pelos quais as Kardashian-Jenner são importantes para o empoderamento feminino atualmente.

em Opinião/TV por

1. Clã 99% feminino. Criado, produzido e administrado por Kris, o Klã cresce e se desenvolve com rapidez e sucesso. Até o ano passado poderíamos dizer que ele era formado por 6 mulheres e 2 homens, mas, recentemente, Caitlyn Jenner assumiu seu lugar de direito tirando Bruce de cena e fazendo com que o grupo, mais uma vez, crescesse em número de mulheres e em representatividade. A porção masculina, por sua vez, segue na retaguarda sendo fracamente representada por Rob, que não marca pontos, mesmo com todo investimento e dedicação da mother-K Kris. Talvez o grande sucesso da família seja…

Continue Lendo

Years & Years (re)apresenta: Desire

em Lançamento/Música por

Você provavelmente já deve ter ouvido alguma coisa do Years & Years por aí… e talvez nem tenha se dado conta de quem são os caras (ou não, né..?). Apesar do som maduro – quando comparado a outros artistas –, o trio britânico formado por Olly Alexander (vocal), Mikey Goldsworthy (guitarra e baixo) e Emre Türkmen (teclado), tem pouco tempo de estrada, com apenas seis aninhos, quatro EPs e um álbum de estúdio lançados até agora. E para você que acha que seis anos são muita coisa, a banda só veio estourar em 2014, com o lançamento dos singles “Take…

Continue Lendo

Descobertas no 145

em Autoral/Crônicas por

Vocês sabem que hoje nós temos inúmeros canais onde podemos conversar com estranhos, criar nossas próprias máscaras, imaginar novos personagens e, antes de tudo, descobrir um pouco sobre nós mesmos(as). Pois é, nem sempre foi assim, há alguns anos, conseguir uma conexão de internet era quase impossível. Na era da net discada, as tardes de sábado eram cultuadas. Quando paro para pensar, quando volto no tempo e me vejo aos 15 anos; um jovem cheio de sonhos e incertezas, sem um smartphone à disposição, buscando descobrir o mundo e suas coisinhas sujas na calada da noite, bate uma saudade, um certo…

Continue Lendo

Ir para o Topo
Pular para a barra de ferramentas